Recent Posts

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Medo.




Medo, medo, medo. De ser comum, ou não-importante. Medo de fracassar. Medo de não ter nada só meu, nada pra se admirar. Medo de virar uma dona de casa fracassada. Menos que a mulher que um homem precisa ao lado. Menos que eu.

Medo de ser esquecida, de ser apagada. Medo de ser aquela pessoa que os outros não chamam pra sair, não se lembram o número. Medo de não me fazer lembrar.

Medo de rotina, de estagnação. Medo de fracasso, fracasso, fracasso. Medo de solidão.

Eu costumava ser um pessoa apreciada, até mesmo quando rude. Eu me fazia presente, eu era mais de mim. Eu era um furacão, eu era a festa.

Eu era indomável, imprevisível. Eu era uma puta mulher. Eu não tinha vergonha de ser eu, nem de me expor. Eu não tinha medo que me olhassem, e sempre engoli minha timidez. Eu era corajosa, independente. E me virara muito bem sozinha. Eu não tinha medo. De nada, nem de ninguém. Eu estava certa do sucesso, por que ele só depende de mim. Eu era uma rainha. Orgulhosa por natureza, tão forte que chegava a da medo.

E hoje eu me diminuo. Faço, todos os dias, menos de mim. Medo, medo de nunca chegar a ser a mulher que eu quero ser. De me sentir sempre impropria demais, nova de mais, pequena de mais. Menos do que eu sou.

4 comentários:

Jade Cristina disse...

Você nunca vai ser apagada. Nunca vai ser menos do que você é. Você é indomável, é uma puta mulher. Você diminui e refaz as pessoas com o seu olhar. Nunca, ninguém, vai diminuir você.
São as pessoas ao seu redor. Não tenha medo de feri-los. Nada vale pertencer a si mesma. Seja você, por que é tudo de melhor. E ninguém melhor que eu pra saber que você brilha, mesmo estando se sentindo apagada. E se seu brilho blind 'em all... compre bengalas.

Phills disse...

Lucius' moments.

Jade Cristina disse...

pensei a mesma coisa KKKKKKKKKKKK

Norma Lúcia* disse...

"Medo. Medo. Medo. Medo. Medo. Cada um guarda mais o seu segredo: a sua mão fechada, a sua boca aberta, o seu peito deserto, a sua mão parada lacrada e selada e molhada de medo..." (Belchior)
Achei que iria gostar desse trecho de uma música do Belchior. Me diz se gostou!
O medo é natural do ser humano, como proteção não quando paralisa!
Bem, estou conhecendo o seu blog e quero dizer que gostei bastante, estarei sempre por aqui!
Bem, quando puder, passa pra conhecer o meu, viu?
http://passandoprarir.blogspot.com/
beijocas.

Postar um comentário