Recent Posts

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Você (I drag behind too)


Eu tenho me sentido muito generosa em relação a meus sentimentos por você. Tenho sentido sua falta.

Na sua persença eu me sinto outra pessoa. Me sinto aumentada. Me sinto diminuída. Me sinto ofuscada e me sinto invejada. Me sinto compreendida e me sinto criticada. Sua presença me oprime, viado. Sua falta também. Sua opinião é importante. Eu me esforço pra que você goste. Faço até sem preceber. Você é importante, bee.

Você sabe o que eu penso sem eu precisar falar. Você sabe o que eu preciso, sem eu precisar pedir. Você me perdoa até quando eu sou a mais escrota das pessoas. Você ri das minhas piadas mais sem graças. Me manda tomar no cu quando eu preciso, e me faz cair na real. Me faz entrar em crise, e depois me tira dela. Você me dá presentes que não valem nada, e eu os adoro. Você nunca me abraçou, e eu não ligo. Nossa distancia é o que nos mantém tão próximas. Nossas diferenças destacam nossas semelhanças.

E há coisas que são só nossas, e ninguém entende, nem explicando. Como o por que te chamar de bee, e por que temos que sentar em pontas opostas. Nós "vamos pelos cantos que é na beirada." Seguimos "um cara que a gente acabou de conhecer em Bangu." (medo nessa parte). E cantamos no trem, falamos rápido demais. Frases pela metade, sem precisar terminar. Estamos numa frequencia mais alta, man, que os outros não conseguem alcançar.

Você é meu centro, meu equilíbrio. É em quem eu me apóio, quem me faz ficar de pé. Você é a única que eu tenho. Se eu pudesse me casava e teria filhos com você. Figurativamente falando.

You are my person.

E eu tenho essa necessidade de ver você feliz. Sua tristeza me entristece. Seu choro me faz chorar. Suas dificuldades de irritam, por que eu nada posso fazer. E as vezes me sinto tão perdida quanto você.

Bem, eu te amo. Whatever.




P.S.: A trilha sonora é toda sua. Placebo faz nossa vida, viado!


.

domingo, 10 de maio de 2009

É mesmo.



Créditos.

sábado, 9 de maio de 2009

Mudança de personalidade.


Eu não gosto mais de cores fortes. Percebi que esmalte vermelho me deixa piriguetchi, e que muita maquiagem atrapalha. Cabelo é melhor bagunçado. Roupa é melhor confortável. Brincos são bons pequenos. Batom é bom bem pouco.

Rosa bebê, verde-água, azul, bege. Cinza.

Estou deixando muita coisa pra trás agora. Tirando pesos das minhas costas. Junto com o excesso, vai o passado, as mágoas, talvez o rancor. Junto com as cores, vão pessoas. Junto com elas, chegam outras.

Agora, aparecem o que estava escondido de mim mesma. Meu cabelo que ninguém aprova. Minhas roupas que ninguém gosta. São importantes pra mim, me fizeram notar que a pessoa que eu tenho sido, não é a que eu quero ser.

Mudo de foco, de perspectiva. Mudo de prioridades. Mudo de pessoas. Mudo de cores.


.

Dia das Mães.

Atendendo a pedidos (na verdade, um só), estou de volta. Tava cansada, se saco cheio, e sem criatividade. Mas como é Dia das Mães, e minha mãe merece, vim fazer declarações de amor pra ela.

Mãe, obrigada, por me fazer quem eu sou. Sendo metade de quem você é, eu já serei uma grande mulher. Obrigada por me apoiar quando eu precisei, por acreditar quando eu duvidei. Obrigada por esconder os problemas pra que eu não me preocupasse, por dizer que estava tudo bem. Obrigada por ver em mim a sua vida, e por me amar mais que tudo. Obrigada pelas brigas, obrigada pelo sermão. Obrigada por se decepcionar comigo, me fez uma pessoa melhor. Obrigada por ser linda e parecer minha irmã. Obrigada por me ensinar. Obrigada pelos passeios, obrigada pelos presentes. Obrigada por cuidar de mim.



Presentêcho da Momy>>



Ela simplesmente a-do-ra caixas. Tenho que dizer que eu também. ^^ Tchau pra quem fica, beijomeliga.



.