Recent Posts

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Especial de Natal



Bem, é Natal. Conclusão imbecil, tudo mundo já sabe. Mas, sei lá, esse Natal tá diferente. Por exemplo, é daqui a alguns dias e eu ainda não me dei conta. Ainda estou, tipo, "mas já?!?". Sem falar que eu não gosto muito de Natal.

Eu costumava gostar de Natal na minha infância, quando tínhamos um ceia tradicional. A família toda esperando dar meia-noite, a mesa posta como deve ser. Agora isso não existe. Toda a família foi embora, não sei bem pra onde. O ruim das tradições é que as melhores acabam. As pessoas se cansam. E ai tudo fica meio melancólico demais pra ser suportado.

Nesse Natal eu não to tão pra baixo. Acho que é por que vai ser diferente do comum (observe que eu não disse melhor). Não vai ser bom o bastante por que não é minha família, mas é uma família, e talvez isso importe.

Só vou sentir falta da minha mãe.

Comecei com a intenção de um alegre "Feliz Natal", e acabei em lamentações. Não importa. Natal é Natal. E mesmo que não se acredite em Deus, é um bom motivo pra reunir sua família, se puder.

Espero ver a minha reunida de novo. Feliz Natal pra vocês.


.

domingo, 7 de dezembro de 2008

Time after time




Quero um dia ser linda como elas. Todas elas que tinham verdadeiro talento, elas que eram realmente bonitas. Elas qeu sabiam das coisas. Elas que sabiam cantar. Um dia eu chego lá.


.

sábado, 29 de novembro de 2008

Passado

Eu tenho tido umas sensações estranhas. Como sentir o cheiro, e se lembrar de uma série de coisas. Isso aconteceu esses dias. Minha mãe apareceu com um creme que tinha cheiro de bala, aquela com embalagem de morango. E eu lembrei que eu costumava ganhar disso na escola. Nessas horas eu penso, cara, como eu esqueci isso?

Uma música ou comida, até mesmo uma lugar. Não são lembranças, é mais uma sensação. É como eu me senti no hora, sem me lembrar que hora foi essa.

O cheiro de café, o sol na cozinha, janelas brancas, presentes de Natal. Vem como flashes na minha mente, que somem antes que eu possa descobrir do onde vieram. Sinto-as, e dói. São coisas importantes, que eu simplesmente esqueci.

Gosto de lembranças. Sou mais apagada ao passado do que seria recomendável. Gosto da melancolia, de recordar. Normal que me sinta como uma herege pelas coisas que esqueço. É como se ao esquece-las, elas desaparesecem. Como se os momentos sumisem. Como se não tivessem significado nada do que eu sei que signficaram.

Eu sou feita de momentos. O momento em que percebi que era capacho, e o momento que cansei de ser. O momento que notei quem era importante, e que notei que eu não era. Os momentos que as pessoas mudaram na minha vida, e os momentos que nudei nas delas. Não posso esquecer. Devo me manter grata por todos os momentos, sempre. Até por aqueles que eu rezo pra esquecer. São esses momentos, essas sensações, que me fazem quem sou. Me fazem mais eu.

Por sorte eu tenho essas sensações. De quando parece que tudo volta, como uma avalanche. Eu me lembro de todos os momentos que vivi. Das coisas maravilhosas que pasei, mesmo que eu não me lembre delas.


.

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Ela. De novo




Pra você, eu vou estar sempre aqui. Pra você, que vai estar sempre aí. Pelo menos pra mim.




"É tão difícil falar e dizer coisas que não podem ser ditas. É tão silencioso. Como traduzir o silêncio do encontro real entre nós dois? Dificílimo contar. Olhei pra você fixamente por instantes. Tais momentos são meu segredo. Houve o que se chama de comunhão perfeita. Eu chamo isto de estado agudo de felicidade."




De novo, bee.




.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

[/Vergonha]

Eu ia postar algo sobre como é dificil manter um blog legal com esses templates lixo. E sobre a dificuldade de achar templates pro blogspot.


Ai eu achei esse site.






Achei melhor ficar quieta. ^^



.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Com ódio do Windows





Quem eles pensam que são pra se meter no MEU computador? Idaí que meu Windows é falso? Você acha que eu não sei? É CLARO que eu sei! E tô cagando pra isso... ¬¬

Mas nããããõ! Tinham qu se meter. E me proíbiram de usar wallpaper! Olha que absurdo!

Me diz, de quê vai adiantar? Eu vou comprar o orgiginal? É claro que não! Este bagulho custa 528, 64 reais!!!! lol Não pagaria nem se tivesse, titia. Vou comprar um pc novo? Pra quê? Pra vir com o Vista e eu ter que formatar? Tenha piedade...

Vou ficar com o meu mesmo, falso ou não... Com wallpaper ou não.... (T.T) Por que afinal, tá funcionando muito bem, tirando a encheção de saco.


.

domingo, 9 de novembro de 2008

Lealdade

Palavra intrigante e com muitas definições, dependendo de que lado da briga você está. Se você é uma mulher traída, lealdade é saber pela boca do seu marido que ele está te traindo. Se você é o marido, é nunca conta pra sua mulher e vê-la sofrer.

Pra mim lealdade é escolher um lado. Você pode entender os dois, mas somente defender um. É nunca brigar por homem. É se abdicar de algumas coisas pelo outro. É acobertá-lo quando preciso, mas também é dedurá-lo quando necessário. Depende também qual é o foco da sua lealdade. Se você dá prioridade aos seus amigos ou a sua familia. Se você quer mesmo perder uma amizade por aquilo que deseja.

É saber pesar as consequencias.

Eu viro as costas pra quem for, se for pra manter minha lealdade. O problema é quando uma lealdade confronta a outra. Você tem que decidir o que é mais importante. E só ha um modo de saber: seja quem for, se te faz escolher, não merece tua lealdade.

Não adianta ser leal a quem não é leal de volta. É um sentimento recíproco, e se não for, o resultado é trágico.

As vezes lealdade é até mesmo estar do lado errado. Claro, tentando sempre fazer esse lado entender o seu erro, mas estando lá, com certeza. É acreditar no que lhe diz, mesmo se todos disserem que ele mente. É nunca tirar conclusões precipitadas. É a confiança em sua própria lealdade.

E é, por ultimo, manter-se leal, haja o que houver. É não mentir, nem enganar. É ser sincero, mesmo quando o erro é seu. Por que se essa lealdade for realmente verdadeira, você será perdoado pelo seu erro, graças a sua sinceridade. Será esquecido que um dia errou. Se for verdadeiro, não haverá rancor. Ser for verdadeiro, se for devolvida com a mesma intensidade, então você terá mais que um amigo, um verdadeiro irmão.



.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Fico assim sem você.

Eu julgo as pessoas. Eu as olho de cima quando passam por coisas pelas quais eu me recuso. Minha vez de ser julgada.

Fria e calculista, seria capaz de virar as costas para o amor da minha vida, se ele me aborrecesse. Então como é que não faço isso? Quem é ele que tem o poder de me deixar dócil? Submissa até.

Eu não olho pra mais nada. Não me importo com mais ninguém. Desmarco com quem for se ele pedir. Faço tudo que ele mandar.

Perto dele, o furacão que eu era some. O orgulho, o nunca pedir perdão. Se ELE me virar as costas, sim, eu peço perdão, até pelo que eu não fiz.

Eu esqueço minhas vontades, até minhas necessidades. Daria minha alma, sem pensar duas vezes. Pus meu coração num frasco, e entreguei de bandeja. Quem mais me faria isso?

Me ensinou o significado de saudade, de tristeza, de alívio. De dor, me mostrou como é ter o coração na mão de outra pessoa sem esmagado. E me fez rastejar.

Estou presa a ele, numa corrente cuja a chave eu mesma joguei fora. Uma prisão em que entrei de livre e espontânea vontade. Morro por dentro por que quero.

Ah, e mesmo assim, ele é um carcereiro tão bom... Me prende com seus carinhos e me machuca com a sua decepção. Me faz sentir vergonha de uma conduta que me esforcei para sustentar. Da pessoa terrível que tinha orgulho de ser.

Me sinto um bichinho de estimação. Um que não se importaria de viver de migalhas.

E ele não nota. Não nota minha agonia, nem sabe o tamanho do meu amor. Não faz ideia de tudo que faria por ele.

Mas do que estou reclamando? Não é como se eu estivesse infeliz...


.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Esperança. De uma vida melhor.

Cara, e se tudo der errado? Se a profissão não for a certa, se meu casamento fracasar, se meus filhos forem odiosos, se minha família morrer... Se der errado, a gente faz o que?

Não quero começar de novo. O início é muito ruim, é muito difícil, e só se deve vivê-lo uma única vez. Cair e levantar durante o percurso é facíl. Quero ver se cair no final...

Trabalhei demais pra chegar até aqui. Sacrifiquei coisas que talvez pros outros não seja nada, mas que eram um pedaço de mim! Fiz escolha nem sempre faceis, nem sempre certas. Comenti erros, com as quais aprendi. Magoei que pessoas que me amaram, mas também as amei de volta.

Isso não se faz de novo. Você não tenta outra vez até que dê certo. Você faz seu melhor para que funcione. Mas, e se apesar de tudo isso, der errado? Eu não quero voltar. Mas também não quero parar, e ficar caída esperando compaixão. O tempo não pára para as suas feridas. Nem para os seu erros.

Se um dia eu percerber que não a mais ninguém? Ninguém por quem viver, nem por mim mesma.

Nossa, pensar nisso dá uma dor no coração... Ai, dói mesmo.

Que bom que ainda resta esperança. De viver e ser feliz. De fazer sucesso, ter um ótimo casamento, com filhos lindos, e a família em volta. De ser feliz, ah... feliz como ninguém jamais sonhou ser.

Uhmm, agora to sentindo um colorzinho bom no coração...

É, só vou pensar nisso daqui em diante.



.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Sabedoria Canina






1.
Nunca d
eixe passar a oportunidade de sair para um passeio.
2. Esperimente a sensação do ar fresco e do vento em sua face por puro prazer.
3. Quando alguém que você ama se aproxima, corra para saudá-lo.
4. Quando ouver necessidade, pratique a obediencia.
5. Deixe os outros saberem quando invariram seu território.
6. Sempre que puder tirar uma soneca, se espreguice antes de levantar.
7. Coma com gosto e intusiasmo, mas pare quando estiver satisfeito.
8. Quando chamar a atenção, deixe alguém tocá-lo.
9. Nunca pretenda ser algo que você não é.
10. Corra, pule e brinque diariamente.
11. Seja sempre leal.
12. Se o que você deseja está enterrado, cave até encontrar.
13. Alegre-se com o simples prazer de uma caminhada.
14. Evite morder quando apenas um rosnado resolver.
15. Quando alguém estiver passando por um mau dia, fique em silêncio, sente-se próximo e, gentilmente, tente agradá-lo.
16. Nos dias mornos, deite-se de costas sobre a grama.
17. Nos dias quentes, beba muita água e descance embaixo de uma árvore frondosa.
18. Quando você estiver feliz, dance e balance todo o seu corpo.
19. Não importa quantas vezes for censurado, não assuma culpa que não é sua e não fique amuado... Corra imediatamente de volta para seus amigos.



Quem tem o 20° pra completar?

.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Ciumes


Ah, sei lá. Tipo eu sinto ciúme. E muito. Mas, sabe, me seguro, por que sei que é infundado. Também consigo entender que as minhas ações geram muito ciume. Mas que que eu posso fazer???
Tipo, eu su assim. Gosto de dançar, escrachar mesmo!
Mas dá um nervoso percerber que to deixando de fazer as coisas.
Então uso de toda confiança que eu exijo. Por isso é fundamental!
Não adianta dizer que ama, se cada vez que tua mulher sair com as amigas vc ficar de cara feia, mermão!!!
Pode ter certeza:

Ela vai te largar...

Não esqueçe, tio, que mulher é bicho feito pra correr solto.
*Mas não muito XD*


.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Tesão




A melhor coisa depois de um orgasmo. Confie em mim, já tive muitos.
Aí você tá no meio de uma reunião de família e de dá vontade de transar.
Você faz o que? Segura? Claro que não! Você pede licença e vai ao quarto ao lado com o parceiro de sua preferencia. Por que, afinal, sexo é uma necessidade fisiolígica, que nem ir ao banheiro, e deveria ser tratada como tal.
Todo mundo já teve tesão. Se não tem, vai ter. Se diz que não, tá mentindo.
Não se escolhe quando, nem onde se quer transar. Você quer e pronto!
Outra coisa perigosa é que você não escolhe quem.
Mas acho muita hipocrisia julgar as pessoas quando acabam de transar.
E daí que eles estão desarrumados e descablados? E daí que você ouviu os gritos? Acredite, vai chegar a sua vez de sair na rua com um chupão no pescoço sem querer. E você, o que vai dizer?

"Dei mesmo, que que tem?"

Pois é, que que tem?
Pelo direito de se fazer quando quiser, onde quiser e com quem quiser (né, Thalata?)
!Por orgasmos múltiplos e horas trancados no quarto!
Pela liberdade de tesão, por que fomos feitos pra transar!



.

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Coisas.

Que eu relamente gosto muito:
~Papel
~Lápis
~Folhas secas
~Vento
~Chuva, quando eu tô dentro de casa.
~Céu
~Flores, mas só pra ver
~Tapete
~Cobertor
~Livros
~CD's
~Prendedor de cabelo
~Meias
~Camisinhas
~Camisetas
~Calças jeans
~Prancheta de desenho
~Sombreado
~Sofá
~Almofada
~Trem
~Mochila
~Chaveiro
~Buttom
~Remédio
~Chocolate
~Botões

Que eu não gosto muito:
~Despertador
~Relógio
~Calendário
~Carpete
~Chinelo
~Lixo
~Falta de espaço
~Leiteira
~Pé molhado
~Flores, quando são pra cheirar
~Capa de sofá
~Comercial de TV
~TV
~Sono

domingo, 28 de setembro de 2008

Minha mulher de libra

Perfeita. Sempre foi. Também, libriana. Que mais se podia esperar? Mas o que me deixa feliz é que ela é minha. O que é muita coisa, já que librianas não são de ninguém. Mas ela sim, é totalmente minha, mesmo que não saiba. Minha pra cuidar e proteger. Minha, sim, pro uso que eu quiser. Por que só eu a vejo, só eu a escuto, e somente eu a entendo. E olha que eu sou capricórniana, não devia me importar com ninguém. Mas ela importa. Seria uma ofensa tê-la e não se importar.

A única libriana da minha vida. E a única sempre será. Me considero com sorte por ter conseguido uma tão cedo. Todos deviam tentar, é revigorante.

Ela me liberta e me faz sorrir. Passa por mim como o vento, não se pode segurá-la. Ela age como quer, quando quer. Ela está sempre linda, esnobando você. Ela esconde sua dor por baixo do orgulho. Ela nunca parecerá triste, ou precisando de ajuda. Ela controla você. Mas não a mim. Por que eu sou de capricórnio. O que eu quero, eu consigo. Eu a quis, e eu consegui. Os signos provavelmente não combinam, eu não sei. Nunca entendi o horóscopo. Acho que vou me dar um subtítulo: Morgana, caçadora de librianas. Mas isso não importa, estou divagando.

O centro do assunto é ela, sempre será. A causadora de ciúmes e inveja. A diva que te põe no chinelo. Ela é um furacão, ela faz tudo que você não consegue. E eu vou me vangloriar pro resto da vida por tê-la, e por saber, ela nunca será de mais ninguém. Eu verei a todos que acham que a conhecem, eles pensam que importam, mas estão errados. Eu sou a mais distante, e a mais presente. Quando você achar que a tem, pense de novo. Ela já tem dona. Estarei aqui sempre, onde você não consegue me percerber. Onde ela sempre pode me achar. E quando estiver no auge de sua audácia de pensar que a tem, ela virá a mim. Sua mulher de capricórnio. Por que eu, que não deveria pertencer a ninguém, sou toda dela.

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Gentileza

Eu ainda consigo achar que isso é tudo que nos falta, pro mundo ficar melhor. Doce ilusão. Mas sim, já seria um começo. Por que, pensa criança, cada vez que você responde mal a alguém, ela te responde mal de volta. E se não tem oportunidade de te tratar mal, vai fazê-lo com outra pessoa, aí você já notou o efeito dominó. Temos que pensar em algo além de nós mesmo e nossos problemas. Que não sabemos quais são os problemas dos outros, e que eles podem ser bem piores que os nossos.

Não custa nada dizer "obrigado" acompanhado de um sorriso, "por favor" com um tom um pouquinho mais leve. Você não vai morrer se ceder seu lugar pra alguém, ou se puder ajudar. Todos reclamamos que são grossos e mal educados conosco, mas alguém já parou pra ver o quanto é mal educado também? Quer dizer, gentileza gera gentileza, ? Então por que nos ferimos tanto? Que necessidade é essa do ser humano de ofender e magoar? Já que, pelo visto, somos incapazes de respeitar o ambiente a nossa volta, deveríamos pelo menos poder nos respeitar uns aos outros!

Eu me arrependo todos os dias das coisas que falo. Falo antes de pensar, e magoo as pessoas. Grande das vezes não me importo, que é quando elas realmente merecem.
Mas em outras não. Estou tentando me ensinar essa lição de gentileza. Poder dar, sem esperar nada em troca. Só pela felicidade de ver outro feliz. Por que é muito bom fazer uma gentileza pra alguém. Ver um amigo, ou mesmo um desconhecido se sentir grato a você, e com sinceridade. Por que cada vez que você for gentil com alguém, ela será gentil com alguém. E pense, um dia podem estar sendo gentis com você! Não seria demais?

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Decepcionando cada vez mais.

Aí você me pergunta, como eu tinha planejado, decepcionando com o quê? E eu gentilmente respondo, como também tinha planejado, com tudo ao meu redor. Com cada pessoa que passa na rua e joga fumaça na cara do outro. Cada um que para pra converar na calçada de CAMPO GRANDE numa segunda-feira. E comigo mesma, por saber que sou incapaz de consertar essa zona.

Por que, olhe pelo meu lado. Todos os dias eu entro num trem lotado, onde quase sempre vou em pé. Já perdi uma vaga no vagão feminino por que um homem não deu lugar pra uma senhora. Hello-o, ele nem devia estar lá! Já quase fui parar em Santíssimo, por que as pessoas não me deixam sair do trem na pressa de entrar. Eu tenho a sincera vontade de lembra-las de que não tem mais lugar, elas vão em pé de qualquer maneira.

Ando num lugar sujo, com calçada de um metro de largura, onde um caminhão quer descarregar mercadoria. Me desculpe amigo, sei que está fazendo seu trabalho, mas não sou obrigada a te aturar. Fico fula em época de eleição. Se coubesse a mim dar um castigo a cada corrupto no governo, eles sofreriam todos os dias o que o pior dos pobres sofre. Pra saber na pele como é depositar todas as suas esperanças de uma vida melhor numa pessoa, pra depois saber que foi ela que roubou seu dinheiro.

Não sou como metade das pessoas que conheço, ou melhor, que evito conheçer. Não me importa se meu cabelo está muito ruim, ou se minha maquiagem borrou. Não consigo simplesmente agir como agem os jovens, como se o amanhã não importasse. Eles correm, gritam e tratam todos mal, se escondem das responsabilidades nas capas e suas idades. Aproveitar é uma coisa, cagar e andar é outra. Tudo depende de um pouco de educação.

Pra deixar os termos claros no fim da revoluçaõ: não, eu não vou te apoiar. Não vou te perdoar por achar que é jovem demais. Não vou esquecer sua falta de educação. Não vou te ensinar o que é gentileza. Não vou te mostrar como a gente sofre. E não, eu não vou votar em você. Apoio o voto nulo, por que esse pelo ao menos, dentre todas as decepções que eu poderia ter, nunca me enganou com atutudes erradas e promessas não compridas.

domingo, 7 de setembro de 2008

Eu vou me mudar.

Acho que por isso notei o quanto gosto daqui. Da luz, do vento, do jeito da chuva, da minha vista da janela. Do cheiro das cortinas e da textura das paredes. Do vidro quebrado e do reboco que cai. Gosto até mesmo da poeira e do jeito que escurece. Das paredes frias e cômodos mofados, do piso sujo e das cadeiras pesadas demais.

Gosto como as coisas se amontoam mesmo quando as jogamos fora. Da sensação de se deixar estar no sofá enquanto anoitece. E também gosto do céu.

Muito de lavar a cozinha e arrastar os móveis, mais ainda das molas do sofá. Do banheiro onde as toalhas não secam e da área cujo piso não clareia.do pântano que é meu quintal e quando chove mais dentro do que fora. Da minha garagem e da minha varanda. Do quarto que não é meu e dos livros que roubei. Da decoração desparelhada e desse tom horrível de salmão.

De estar sozinha ou com minha mãe. De ouvir música no chão e filme embaixo do cobertor. Das brigas e dos abraços. E principalmente das lembranças, até as que não tenho.

Essa vai ser sempre a minha casa.

sábado, 30 de agosto de 2008

Os nomes dos personagens foram ocultos para garantir sua integridade.

Ela me enlouquece. Me deixa nervosa, irritada, me chateia. É estúpida, ignorante, grossa. Rude, sarcástica e paranóica. Mas não vivo sem ela. Penso nela todos os dias, até ficar preocupada. Ela me deixa em estado de pânico. Sinto como se tivesse obrigação de cuidar do bem estar da dita cuja. A gente conversa, a gente se entende.

E, tipo assim, ela me deixa morta de preocupação mesmo. Sempre teve mania de arrancar o cabelo. Mas aí virou tique, e agora não para mais. Já falei que vai ficar careca, mas não consegue se refrear. E o que é pior, não sei como posso ajudá-la.

Já fiz de tudo pra que ela fique sempre bem. Eu a arrastei pra tomar vacina de rubéola, eu escolho as roupas dela quando vamos sair, eu digo até o que ela deve fazer quando está confusa. Mas não sei se é o bastante.

Sei que é comigo que ela desabafa, é pra mim que ela se vira quando está prestes a pifar. Eu ouço, digo o que penso e geralmente resolve. Mas de uns tempos pra cá não vem dando jeito. Me deixa a beira de um ataque de nervos vê-la mal. E nada do que eu tento adianta.

Eu sou o muro que controla o vazio do coração dela. Eu sou quem segura sua sanidade. E pode não parecer, mas ela segura grande parte da minha também. Ela é linda, é inteligente, divertida, desejada até, e mesmo assim eu não consigo fazê-la ver o quanto pode ser feliz. Não consigo convencê-la a seguir o próprio coração.

Eu mostro a ela que nossa separação foi inevitável, mas que nossas mentes ainda são iguais e que ainda andamos no mesmo passo. Que ainda pode ser divertido e que ela não precisa sofrer. Que eu vou sempre estar amparando-a, mesmo que nunca tenhamos nos abraçado. Que somos muito mais que irmãs e que dividimos tudo. Que ela é o centro das minhas idéias e que é com ela que eu ainda me pareço.

Eu queria que, por favor, ela se esforçasse. Eu não vou conseguir vê-la afundar, mesmo que pra isso eu tenho que descer até o inferno pra buscá-la. É a pessoa que eu tenho inveja (de um jeito saudável) e que eu mais quero ver se dando bem. Quero tudo de bom pra ela. No que precisar, ela pode me chamar. Nem precisa fazer esforço. Como, só no Bluetooth mental. Ligação direta via velox agora.

Por que, cara, amo ela demais.

sábado, 23 de agosto de 2008

Inutilidades

É incrível como as pessoas realmente não tem o que
fazer. Eu, por exemplo, estou usando o computador do curso de inglês pra reclamar de coisas que ninguém vai ler. E pouco me importo se leiam ou não. Mais que é muita inutilidade é.

Nunca consegui escrever nada construtivo mesmo, e nem
me manter num mesmo assunto sem desviar do objetivo (não que eu tenha um).
Mas não é por isso que estou escrevendo. É pela
falta do que fazer. Notei que grande parte das coisas que a gente faz não serve pra nada. A gente se preocupa a toa e se stressa mais ainda. Quer parar de se aborrecer? É só perguntar "pra que?". "Pra que" me importar? "Pra que" reclamar?

"Pra que", meu Deus, entrar na briga? Vai mudar alguma coisa? Resolver teu problema? Não, ? Então, é inútil.

E isso é só pra falar dos aborrecimentos. Por exemplo, pra que serve o Orkut.com? Nada. Aí vem um que diz: "É bom pra fazer amigos." Caô. metade daquelas pessoas não se conhecem, nem se importam. A outra metade nunca vai virar amigo de verdade. É claro, existem exceções. Mas são poucas, como todas as exceções. Algumas garotas enlouquecem se ficam dois dias sem olhar o scrapbook. Desculpa te informar colega, mas ninguém vai morrer se você não olhar seus recados.

Vou te dar um conselho. Cada vez que quiser fazer alguma coisa, ou estiver com muita raiva, se pergunte se vale a pena. Encontre o equilíbrio entre o que não serve pra nada, e aquilo que te distrai. Afinal, ninguém é de ferro.